Estádio do Maracanã | Infraestrutura Urbana

Equipamentos Públicos

Obra - Estádio do Maracanã

Estádio do Maracanã

Palco da final da Copa conta com cobertura tensionada e sistema de amortecimento das arquibancadas construído com rejeitos de demolição do próprio estádio

Por Romário Ferreira
Edição 39 - Junho/2014

Capacidade: 78.639 lugares
Localização: Rio de Janeiro
Valor da obra: R$ 1.050 bilhão

Foto: Érica Ramalho/Governo do RJ

A reforma do estádio Jornalista Mário Filho durou quase três anos e as entradas da arena foram divididas em quatro setores: Norte, Sul, Leste e Oeste. Após a demolição de boa parte da arquibancada e da corroída cobertura - intervenção autorizada pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) -, as ampliações começaram com a execução do sistema de contraforte, responsável por amortecer as cargas verticais das arquibancadas. O sistema consiste numa espécie de piscina de concreto que aproveita rejeitos da demolição do estádio.

Outra solução, usada para acelerar a construção, foi substituir as arquibancadas antigas de concreto armado por estrutura metálica e pré-moldados. Na base de concreto do contraforte foram fixados os perfis metálicos que estruturam a nova arquibancada, que ganhou maior inclinação. A estrutura metálica, composta por perfis e vigas-jacaré, suporta os degraus de concreto pré-moldado.

Os perfis das arquibancadas receberam lajes de steel deck. Devido à proteção passiva que a estrutura precisa ter contra incêndios, foi colocada uma armadura de reforço sobre o steel deck, para que a laje ganhasse uma estrutura de concreto e o steel deck fosse usado apenas como fôrma. As novas arquibancadas avançaram 14 m em direção ao campo, deixando os espectadores mais próximos ao gramado.

A cobertura foi instalada com cabos tensionados e membrana de PVC com Teflon PTFE. O sistema capta água da chuva para reutilização nos banheiros e nela, ainda, foram instalados painéis para captação de energia solar.

O novo estádio tem capacidade para 78.838 torcedores, que se acomodarão em assentos retráteis, numerados e com proteção antichamas. O acesso foi facilitado por meio da recuperação das rampas existentes e da construção de outros quatro conjuntos de entradas e saídas.

Orçada em R$ 1.050 bilhão, a reforma da arena sofreu paralisações e seguidos atrasos. Em período de forte chuva, o gramado foi coberto por água, que também se acumulou na cobertura enquanto ela ainda estava sendo instalada.

Tudo novo

Marcelo Scandaroli Marcelo Scandaroli Marcelo Scandaroli
Arquibancada antiga de concreto armado foi substituída por estrutura metálica e prémoldados. Foto da época da reforma mostra a arquibancada sendo estruturada com perfis metálicos e degraus em concreto pré-moldado A estrutura metálica, formada por perfis e vigas-jacaré, foi fixada ao sistema de amortecimento (contraforte), composto por camada de concreto


Os perfis metálicos das arquibancas são fechados com lajes de steel deck. Devido à proteção passiva contra incêndios, foi colocada uma armadura de reforço sobre o steel deck

Foto: Érica Ramalho/Governo do RJ Divulgação: Odebrecht Arenas
A antiga cobertura de concreto deu lugar a uma nova instalada com cabos tensionados e membrana de PVC com Teflon PTFE. A área coberta aumentou de 24.354 m² para 47.350 m² A nova cobertura tem duas novidades: vai captar água da chuva para reutilização em uso não potável nos banheiros; e também vai captar energia solar, que será convertida em energia elétrica
Foto: Érica Ramalho/Governo do RJ Foto: Érica Ramalho/Governo do RJ
As novas arquibancadas avançaram 14 m em direção ao campo, deixando os espectadores mais próximos ao gramado. Todos os 78.838 assentos são retráteis e com proteção antichamas
Ao final da reforma, a área útil do Maracanã aumentou de 189 mil m² para 240 mil m². Uma das novidades para o público é a colocação de quatro telões, cada um com cerca de 100 m² de área de projeção

FICHA TÉCNICA

CONTRATANTE - Secretaria de Estado de Obras; Interveniente e arquitetura: Empresa de Obras Públicas do Rio de Janeiro (Emop); PROJETOS - Projeto executivo de arquitetura: Fernandes Arquitetos Associados - arquitetos Daniel Hopf Fernandes e Luis Henrique de Lima; Cobertura: Schlaich Bergermann und Partner (SBP); Estrutura de concreto: Cobrae; Estrutura de aço: Casagrande Engenharia; Instalações elétricas: Companhia Brasileira de Engenharia (Cobrae); Instalações hidráulicas: Cobrae; Instalações hidrossanitárias: Cobrae; CONSTRUÇÃO - Execução: Consórcio Maracanã Rio 2014, formado pela Odebrecht Infraestrutura e Andrade Gutierrez; Ar-condicionado: DW Engenharia; Consultoria em acústica: WSDG Designs A/V Systems; Fluxo de multidões: Steer Davies Gleave (SDG); FORNECEDORES - Holcim, Gerdau, Otis, Mills, Usiminas, Brafer, Otis Elevator Company, Giroflex, Hightex, Sepa - Soluções de Engenharia e Projetos das Américas, Locapisos, AkzoNobe, Lumens Engenharia.

Destaques da Loja Pini
Aplicativos