Estádio Nacional Mané Garrincha | Infraestrutura Urbana

Equipamentos Públicos

Obra - Mané Garrincha

Estádio Nacional Mané Garrincha

Demolido e redesenhado com inspiração na obra de Oscar Niemeyer, estádio conta com elementos que visam à obtenção de certificado Leed de sustentabilidade

Por Bruno Loturco
Edição 39 - Junho/2014

Capacidade: 72.788 pessoas
Localização: Brasília
Valor da obra: R$ 1,015 bilhão

Foto: Danilo Borges/Portal da Copa

Para conciliar as exigências da Fifa sem comprometer o traço de Oscar Niemeyer, a reforma do estádio sede de sete jogos da Copa do Mundo 2014 buscou inspiração em outros projetos do arquiteto e incorpora avanços tecnológicos como captação de energia solar e cobertura autolimpante.

Totalmente demolido, com resíduos destinados à pavimentação de vias, o Estádio Nacional Mané Garrincha foi redesenhado. "O projeto guarda semelhança com construções ao longo do Eixo Monumental", diz o arquiteto Eduardo Castro Mello, autor do projeto. A referência a Niemeyer inclui fachada composta por 288 pilares de 36 m de altura, dispostos ao redor do edifício, formando o espaço de convivência e de acesso do público.

São três níveis de arquibancadas, sendo que a inferior e a intermediária - onde ficam os 74 camarotes - tiveram estrutura moldada in loco. Já a arquibancada superior conta com 1.064 peças de concreto pré-moldadas. Análise dinâmica do comportamento da estrutura orientou o posicionamento dos pilares de sustentação visando a amortecer vibrações.

Para vencer 80 m e cobrir os assentos, a cobertura é composta por estrutura tensionada com cabos e treliças metálicas presos a anel de compressão de concreto. O desenho faz alusão a uma roda de bicicleta invertida. Os 90 mil m² de revestimento, em membrana politetrafluoretileno (PTFE) com dióxido de titânio (TiO2), são autolimpantes e, ao entrar em contato com o sol, decompõem a sujeira.

Além de contribuir com a remoção de poluição - equivalente a mil automóveis por dia -, a cobertura coleta água da chuva e abriga placas fotovoltaicas capazes de gerar 2,2 MW de energia elétrica. Tais itens candidataram o estádio a receber o selo Leadership in Energy and Environmental Design (Leed), na categoria Platinum, do Green Building Council (GBC).

Niemeyer revisitado

Foto: Danilo Borges/Portal da Copa
Autolimpante, cobertura promove processo de fotocatálise para evitar acúmulo de sujeira, voltando à cor branca após as chuvas. Além disso, reflete raios ultravioleta, diminuindo sensação de calor. Por reter 15% da luz amarela, também reduz uso do ar-condicionado Piso permeável em volta do estádio e cobertura coletam água da chuva para reúso em vasos sanitários, mictórios, irrigação do gramado e lavagens em geral, atendendo a 80% da demanda. Com capacidade para 6,84 milhões de litros, sistema conta com cinco cisternas e lago de retenção


Foto: Danilo Borges/Portal da Copa Portal da Copa
Iluminação do campo é feita por projetores com lâmpadas de vapor metálico e reatores eletromagnéticos a 6.000 lux - Fifa exige 3.500 lux. Internamente, são usadas lâmpadas fluorescentes com reatores eletrônicos. Lounge da área VIP tem lâmpadas tipo led de baixo consumo Fachada do estádio conta com 288 pilares com mais de 36 m de altura. Sustentam varanda que faz as vezes de fachada e promove integração do estádio com o Eixo Monumental de Brasília


Portal da Copa Lula Marques/Portal da Copa Portal da Copa
Anel de compressão da cobertura foi içado por processo chamado big lifting. Cabos com 10 cm de diâmetro cada foram erguidos simultaneamente por 48 macacos hidráulicos e posteriormente fixados em 48 placas-base. Com inclinação de 9%, cobertura abriga 9,6 mil painéis solares Com capacidade para 72.788 pessoas, distância dos assentos até o gramado é de 7,5 m. As áreas reservadas ao público foram separadas em arquibancadas inferior, intermediária e superior


Acesso é feito por 19 portões, 50 rampas, que chegam a todos os níveis, quatro escadas rolantes, que atendem à área VIP, 60 escadas normais e 20 elevadores, que atendem todo o perímetro do estádio


FICHA TÉCNICA

CONTRATANTE - Governo do Distrito Federal (GDF); PROJETO - Autoria do projeto: Eduardo Castro Mello, do Escritório Castro Mello Arquitetura Esportiva; CONSTRUÇÃO - Andrade Gutierrez e Via Engenharia; Projeto estrutural: Etalp - engenheiro Arthur Luiz Pitta Jr.; Projeto da cobertura: Schlaich, Bergermann & Partner - Knut Göppert e Knut Stockhusen

DADOS GERAIS

Área construída: 218.798,09 m²; Volume de concreto: 177.096,46 m³; Volume de aço: 22.243.151,03 kg; Volume de madeira: 15.000 m³; Volume de areia: 170 t; Rampas de acesso: 16; Camarotes: 74; Banheiros: 276; Vestiários: 4; Placares eletrônicos: dois; Bares e lanchonetes: 54; Refletores: 465; Elevadores: 20; Cabines de TV: 6; Catracas: 158; Espécie de grama: Bermuda Celebration; Setores: 4; Assentos para público geral: 65.800; Assentos VIP: 6.300; Assentos VVIP: 120

Destaques da Loja Pini
Aplicativos