Aeroporto Internacional de Campinas é projetado para ser o maior da América Latina. Em construção, terminal de 145 mil m² tem 28 pontes de embarque | Infraestrutura Urbana

Transporte

Obra

Aeroporto Internacional de Campinas é projetado para ser o maior da América Latina. Em construção, terminal de 145 mil m² tem 28 pontes de embarque

Por Romário Ferreira
Edição 41 - Agosto/2014

Divulgação: Aeroportos Brasil Viracopos

Uma oferta de R$ 3,821 bilhões fez do consórcio Aeroportos Brasil, o vencedor da concessão do Aeroporto Internacional de Viracopos, em Campinas (SP), no dia 6 de fevereiro de 2012. Formado pelas empresas Triunfo Participações e Investimentos, UTC Participações e pela francesa Egis Airport Operation, o consórcio investirá R$ 9,5 bilhões ao longo dos 30 anos de concessão. Objetivo é preparar o aeroporto para receber mais de 80 milhões de passageiros por ano e torná-lo o maior da América Latina.

 
Foto: Camila Menezes/Aeroportos Brasil Viracopos
Foto: Camila Menezes/Aeroportos Brasil Viracopos
Da China vieram 28 fingers, de dois modelos: oito com três túneis e 20 com dois túneis. As pontes com três túneis são para aeronaves de grande porte, medem 26 m recolhidas e chegam a 42 m estendidas. Já as demais, medem 19 m recolhidas e alcançam 35 m

Nas três décadas, o investimento da concessionária Aeroportos Brasil Viracopos será feito em cinco ciclos, estabelecidos de acordo com a expansão da capacidade de passageiros. No primeiro ciclo, até 2021, a expectativa é receber de 14 milhões a 22 milhões de passageiros por ano; no segundo, a partir de 2021, de 22 milhões a 45 milhões de passageiros, e assim por diante, até alcançar a marca de mais de 80 milhões de passageiros por ano depois de 2042.

No final de 2014 serão concluídas as obras do primeiro ciclo de aportes. Cerca de R$ 2,5 bilhões estão sendo investidos na construção do novo terminal de passageiros, cuja construção começou no dia 29 de agosto de 2012. Este novo aeroporto substituirá o existente - que recebeu 9,3 milhões de passageiros em 2013 - e contará com 28 pontes de embarque, sete novas posições remotas de estacionamento dos aviões, edifício-garagem com quatro mil vagas e ampliação das pistas de taxiamento de aeronaves. O edifício-garagem, que terá restaurantes, loja de aluguel de carros e escritórios dos órgãos públicos federais, será integrado ao novo terminal por meio de uma ponte coberta.

Embora a inauguração completa do novo terminal esteja marcada para o final deste ano, ele já vem sendo entregue aos poucos. Parte do píer A, por exemplo, já foi utilizado pelas seleções que disputavam a Copa do Mundo. A delegação da Costa do Marfim foi a primeira a desembarcar no novo aeroporto, no dia 6 de junho. Também passaram por lá as seleções de Japão, Argélia, Portugal, Honduras, Nigéria e Rússia. Havia a expectativa de inaugurá-lo por completo para o mundial, mas atrasos e paralisações na obra fizeram com que o cronograma fosse refeito. Até o fechamento desta edição, 92% dos serviços de engenharia estavam concluídos.

Complexo vultoso
Todo o projeto foi desenvolvido em parceria com a consultoria holandesa Naco, especializada na engenharia de aeroportos. Projetado sob o conceito de "aeroporto cidade", a obra é modular, para facilitar ampliações futuras, e prevê uma expansão vertical. A estrutura está preparada para receber centro de convenções, hotéis e shopping center. A concessionária, inclusive, já anunciou a construção de um hotel anexo ao aeroporto.

O empreendimento, que terá a bandeira Tryp by Wyndham, é resultado do acordo entre a concessionária e a VCI, joint-venture formada pelas empresas Fisa e Valor Finanças Corporativas. O hotel terá 400 quartos, investimento de R$ 118 milhões e previsão de entrega para 2017.

O novo terminal de Viracopos tem 145 mil m² de área, enquanto o atual, que será desativado futuramente, tem apenas 28 mil m². Segundo a concessionária, ele será o maior da América Latina. Para Flávio Mesquita, coordenador de sistemas e equipamentos da concessionária, "a grandiosidade vem sendo justamente o grande desafio da construção" - e essa é também uma das causas de o aeroporto não ter ficado totalmente pronto para a Copa do Mundo, segundo ele.

"O volume de obra era muito grande e o tempo que o governo nos deu é muito pequeno, tanto que nenhum aeroporto terminou completamente. Mas, agora, estamos na reta final, na etapa de acabamento", explica Mesquita. Para garantir o cumprimento do atual cronograma, ele conta que o quadro de operários vem sendo ampliado.

De fato, os números da obra são expressivos. Todo o complexo foi erguido sobre fundação de estacas pré-moldadas de concreto. Ao todo, foram mais de quatro mil estacas com diâmetro médio de 1,2 m e 25 m de comprimento, representando um volume de concreto de mais de 200 mil m³. Integram a lista também 4 t de aço, três mil pilares e mais de 50 mil vigas, segundo Mesquita.


PÁGINAS :: 1 | 2 | 3 | Próxima >>
Destaques da Loja Pini
Aplicativos