Acordo do BNDES prevê que outros bancos também emitam garantias de projetos de infraestrutura | Infraestrutura Urbana

Financiamento

Notícias

Acordo do BNDES prevê que outros bancos também emitam garantias de projetos de infraestrutura

Poderão participar as instituições bancárias que apresentarem oferta de fianças equivalentes a, no mínimo, 40% do total do financiamento solicitado

Gabrielle Vaz, do Portal PINIweb
27/Junho/2017
Divulgação: Governo do Paraná

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) anunciou nesta terça-feira (27) acordo com os principais bancos públicos e privados do País para o compartilhamento de garantias nos financiamentos de projetos de infraestrutura. O principal objetivo é a redução de custos nos processos.

O acordo foi a alternativa encontrada pelo BNDES para o fim do empréstimos-pontes que o banco deixou de conceder desde 2016. A medida estabelece que os bancos que apresentarem oferta de fianças equivalentes a, no mínimo, 40% do total do financiamento solicitado terão direito de compartilhar garantias com o BNDES.

As diretrizes serão estabelecidas somente a empréstimos sindicalizados, considerando que a instituição financeira que apresentar participação de, pelo menos, 40% do total do projeto, também terá acesso as garantias.

Essas regras serão aplicadas, especialmente, a fase "pre-completion", etapa anterior à conclusão das obras do projeto, sendo considerada a de maior risco. Atualmente, as empresas devem apresentar as fianças bancárias de acordo com desembolsos pendentes, o que gera, de acordo com o BNDES, assimetria de informações, condições e prazos do mesmo projeto. As fianças cobrem apenas os dois primeiros anos de um projeto e o ideal seria a cobertura entre quatro e cinco anos, quando os projetos já possuem viabilidade operacional.

"O compartilhamento de garantias proporcionará a melhor alocação de riscos dos projetos de infraestrutura, aumentando a previsibilidade para os fiadores, potencialmente reduzindo custos", comentou o diretor das áreas de Crédito, Financeira e Internacional do BNDES, Claudio Coutinho.

Este novo modelo será aplicado nos financiamentos e consórcios que já venceram os leilões de concessão dos aeroportos de Fortaleza, Salvador, Porto Alegre e Florianópolis e também os das rodovias paulistas, todos neste ano de 2017.

"O fundamental é que o conjunto de fiadores de um projeto seja conhecido na largada e todos os envolvidos estejam alinhados e comprometidos com a mesma visão de longo prazo. Para isso, será fundamental que os bancos que fornecem as fianças estejam familiarizados com os riscos de projetos de infraestrutura", ressalta a superintendente da Área de Saneamento e Transporte do BNDES, Luciene Machado.

A expectativa do banco é de que o modelo atraia novos player, como também grandes instituições financeiras estrangeiras, considerando que o BNDES é o maior financiador atual de projetos de infraestrutura no País, com cerca de R$ 988 bilhões desembolsados em valores constantes dentro dos últimos dez anos.

Destaques da Loja Pini
Aplicativos